A&P Arquitetura | Ficha técnica – Portal Turístico da Misericórdia: Receptivo para ônibus de turismo e ascensor entre o Belvedere da Sé e a Ladeira da Misericórdia

Ficha técnica – Portal Turístico da Misericórdia: Receptivo para ônibus de turismo e ascensor entre o Belvedere da Sé e a Ladeira da Misericórdia

local Centro Histórico, Salvador – Bahia

projeto 2011

autoria Alexandre Prisco e Nivaldo Andrade

colaboradores Annamaria Binazzi, Gabriela de Freitas, André Nóbrega , Ana Lina Mendes, Fábio Steque, Felipe Amorim e Roberta Esteves; Alberto Santana , Manuel Sá, Saulo Coelho e Adriano Leite (modelo eletrônico); Regina Carvalho (maquete física)

área de intervenção 1.540,00m²

9ª Bienal Internacional de Arquitetura São Paulo – Exposição Geral de Projetos

Pelas próprias características topográficas do sítio em que foi implantada, no século XVI, Salvador sempre se defrontou com o problema da ligação entre seus diversos níveis. Na segunda metade do século XIX, uma rede de elevadores e planos inclinados foi instalada para permitir o transporte de passageiros entre os dois níveis principais: o porto, ao nível do mar, e a cidade administrativa, cerca de 60 metros acima. Essa rede era formada pelo Elevador Lacerda, pelo Charriot (Plano Inclinado Gonçalves), pela Balança (Elevador do Taboão) e pelo Plano Inclinado do Pilar. Parte desse sistema continua em funcionamento ainda hoje, transportando diariamente milhares de pessoas; o Elevador Lacerda, além disso, se transformou no mais importante símbolo da cidade e foi tombado pelo IPHAN.

Apesar desse sistema, o acesso ao Centro Histórico de Salvador, patrimônio da humanidade pela UNESCO, ainda hoje apresenta algumas dificuldades de acesso. Os ônibus de turismo atualmente “despejam” e “recolhem” seus passageiros em plena Praça da Sé, sem que haja qualquer tipo de receptivo ou apoio para eles e criando problemas no tráfego local. Por outro lado, o Viaduto da Sé, principal via de acesso de veículos ao Centro Histórico de Salvador atualmente, se encontra sobre uma área socialmente degradada e com alguns espaços ociosos, não obstante a recente instalação de repartições públicas nos seus arredores.

O projeto do Portal Turístico da Misericórdia tem como objetivo criar uma estrutura de receptivo turístico para o Centro Histórico de Salvador e facilitar o deslocamento dos visitantes entre os diversos níveis em que este sítio patrimonial encontra-se implantado. Estrutura-se em três projetos específicos: o Receptivo Turístico da Misericórdia, a conexão entre o Belvedere da Sé e a Ladeira da Misericórdia e o tratamento paisagístico da encosta.
RECEPTIVO TURÍSTICO DA MISERICÓRDIA
A proposta resolve de forma definitiva o problema do acesso dos visitantes que chegam em ônibus turísticos ao Centro Histórico de Salvador. Serão criadas três baias para ônibus logo abaixo do Viaduto da Sé, na travessa do Tijolo, o que não terá qualquer impacto negativo no tráfego da região. As baias serão utilizadas somente para o embarque e desembarque dos passageiros, tendo em vista que a parada definitiva dos ônibus se dará em um terreno que já é utilizado como estacionamento, no Largo da Barroquinha, a 500 metros dali.

Os vãos existentes sob o Viaduto da Sé, construído no final dos anos 1940, serão ocupados por um centro de atendimento ao turista, onde serão oferecidas informações sobre a cidade e o seu centro histórico, bem como acesso a internet, guarda volumes e serviços higiênicos. O terreno atualmente ocupado por um estacionamento pago, também localizado sob o viaduto, será transformado em uma praça pública onde os turistas poderão aguardar a chegada do ônibus protegidos sob o viaduto, de linhas déco; espaços existentes nos edifícios lindeiros, que hoje são utilizados como depósitos, poderão ser transformados em cafés e lojas voltadas à venda de suvenires. Duas escadas rolantes e um elevador vencem o desnível de 6,50 m, ligando a nova praça sob o viaduto à Rua da Misericórdia, a poucos metros dos principais pontos de interesse, como a Praça Municipal, onde estão localizados o Elevador Lacerda, o Palácio Rio Branco e a Câmara de Vereadores, a Praça da Sé e o Terreiro de Jesus.

O acesso às garagens subterrâneas do Edifício Themis, existente, se dá exclusivamente pelo terreno; esta servidão de passagem será respeitada, reservando-se uma faixa do terreno para o acesso de automóveis. Para demarcar claramente a separação entre o espaço público destinado ao acesso dos pedestres ao Centro Histórico e o acesso às garagens, foi criado um muro vazado com estrutura em aço que suporta painéis de vedação em argamassa armada, espaçados de modo a permitir a passagem de luz, a circulação de ar e a visão.
CONEXÃO ENTRE O BELVEDERE DA SÉ E A LADEIRA DA MISERICÓRDIA
A Ladeira da Misericórdia se localiza aos fundos de um dos mais importantes monumentos coloniais brasileiros, a Santa Casa de Misericórdia, e foi objeto de um importante projeto de requalificação implementado pela Prefeitura e coordenado pela arquiteta Lina Bo Bardi nos anos 1980. Atualmente, porém, encontra-se bastante degradada, cenário que pode ser alterado em breve através de uma série de atividades culturais que estão sendo programadas para a área, que deverá também abrigar a sede de uma cooperativa de artistas e produtores culturais.

Seu principal problema, que tem contribuído para a sua degradação, é o seu acesso. Embora se localize a poucos metros do Belvedere da Sé, intensamente visitado pelos turistas, o desnível existente entre o belvedere e a ladeira, de cerca de 30 metros, dificulta o acesso a esta última e a transforma em um espaço inseguro e pouco freqüentado pelos turistas e pela população em geral.

A construção de um elevador público ligando esses dois espaços garantirá o acesso rápido e confortável à Ladeira da Misericórdia e contribuirá para a recuperação desse logradouro para a cidade. A estrutura do elevador em aço tem seus vãos parcialmente preenchidos por placas de argamassa armada que fazem referência à tecnologia desenvolvida pelo arquiteto João Filgueiras Lima, o Lelé, para a intervenção realizada por Lina Bardi nos imóveis vizinhos. O fechamento desses vãos se dá de forma irregular, provocando o usuário a direcionar o seu olhar ora para a Baía de Todos os Santos e o casario da Cidade Baixa, ora para o conjunto restaurado por Lina. Na Cidade Alta, o acesso ao elevador a partir do Belvedere da Sé se dará por meio de um singelo passadiço. A vegetação existente se encarregará de minimizar o impacto do novo elevador no frontispício da paisagem, que ademais é caracterizado pela existência desses equipamentos, entendidos como característicos da situação de uma “cidade de dois andares”.
TRATAMENTO PAISAGÍSTICO DA ENCOSTA
A encosta que separa as Cidades Alta e Baixa é elemento fundamental da imagem do Centro Histórico de Salvador e se caracteriza pelos imensos muros de contenção de pedra e pela vegetação que definem com clareza os limites entre das duas “cidades”. Entretanto, a falta de manutenção tem resultado em uma paisagem árida e desagradável. O projeto prevê a recuperação, como projeto piloto, do trecho de encosta compreendido entre o Palácio Rio Branco e a Ladeira da Misericórdia, incluindo o trecho localizado sob a passarela do Elevador Lacerda, e contempla a consolidação estrutural e limpeza dos muros de contenção de pedra, a poda da vegetação existente nos trechos em que esteja comprometendo estruturalmente e visualmente a estrutura mural, a recuperação da pavimentação e a instalações de iluminação cênica. O objetivo é ressaltar os valores paisagísticos da encosta do Centro Histórico de Salvador para seus visitantes e habitantes, e garantir maior segurança para os transeuntes.

 

 

.